CONHEÇA UM POUCO DA NOSSA HISTÓRIA:

No dia 18/10/1933 nascia no lugarejo conhecido como Pavão, pertencente ao antigo povoado do Cercado (hoje Nova Serrana) que na época pertencia ao município de Pitangui, o senhor Rômulo Rafael Martins, filho de dona Maria Vaz da Rocha e Antônio Martins filho. 

Uma criança que desde os 8 anos trabalhava ajudando os pais, mas aos  11 anos de idade iniciou  uma trajetória que seria a história de sua vida. Com as próprias mãos fabricou fôrmas para tijolos e através destes construiu um forno de barro para sua mãe, para que ela produzisse biscoitos de polvilho para que ele vendesse de casa em casa no povoado do Cercado. Logo em 1944 mudou-se com a família para uma fazenda do seu tio Pedro Coelho da Rocha no município de Leandro Ferreira, onde ele na parte da manhã cortava cana com o pai e na parte da tarde vendia como de costume os biscoitos da dona Maria de porta em porta em Leandro Ferreira, continuando assim a tradição. 

Vindo de família muito religiosa acabou tornando-se coroinha naquela cidade do famoso Padre Libério, de onde surgiu uma grande amizade, motivo de orgulho para a família. Pois até os dias de hoje ele é considerado um Padre milagroso.

Em 1950 adquiriu com ajuda do pai a primeira propriedade, que foi uma padaria na cidade de Leandro Ferreira, onde enxergou a possibilidade de uma grande oportunidade e logo em seguida em 1951 mudou-se para Bom Despacho, onde alugou uma sala na antiga rua do céu e montou a primeira Padaria Martins.

Em 1954, com o crescimento da sua produção e necessidade de matéria prima de primeira qualidade, começou então a produzir o próprio polvilho na fazenda que o pai havia adquirido na cidade de Bom Despacho,  onde hoje funciona uma das unidades da indústria, fazenda conhecida como Buriti na qual ele acabou comprando do próprio pai.

Em 1955 a produção do polvilho começou a crescer e como ele não conseguia consumir toda a produção decidiu procurar alguns parceiros, onde foi recebido pelo pessoal da antiga Padaria Sagrada Família de Belo Horizonte e o mercado central. Começou ai a trajetória do sucesso, com o grande controle de qualidade sempre adotado o produto foi um sucesso e a produção começou a acelerar de forma grandiosa.

Em 1956 o senhor Rômulo foi abençoado com sua primeira filha, criança cujo nome foi dado de Maria Inêz, primogênita que veio dar origem a marca “Marinêz”; Logo em seguida teve mais dois filhos, Rômulo e Fabíola. Pouco tempo depois Sr. Rômulo ficou viúvo de Dona Haidée e casou-se com Dona Marluce, tendo mais três filhos, Rafael, Rodrigo e Renato.

Devido ao grande sucesso do Polvilho Marinêz na capital mineira o jovem Rômulo percebeu que na região de Bom Despacho não teria matéria prima suficiente para manter sua produção crescente por muito tempo, então ele decidiu a buscar novos mercados produtores de raiz de mandioca para produzir o Polvilho Marinêz.

No final da década de 70 por informações do amigo Sr. Ermelindo, começou a visitar o estado do Paraná, para conhecer algumas lavouras e produtores de polvilho da região, na qual se apaixonou pela região e decidiu a montar uma segunda unidade de sua fábrica fora das Minas Gerais.

No início dos anos 80 através de um amigo, o Sr. Guido (que trabalha na indústria até hoje), foi conhecer a cidade de Terra Rica no Paraná. Recebido pelo prefeito da época, foi acolhido e a ideia passava a ter rumos de se concretizar, formava-se assim uma grande amizade e criava-se uma parceria entre Polvilho Marinêz e o estado do Paraná. Surgindo uma grande indústria de polvilho, onde foram adquiridas várias propriedades de terras para o plantio de mandioca de qualidade, foram feitas muitas parcerias entre produtores rurais da região onde era garantida a compra da matéria prima e várias empresas de transportes para levar as raízes até a fecularia, gerando empregos para uma grande região próxima a Terra Rica.

A produção com formatos artesanais com escala industrial tornou-se um sucesso maior ainda e devido ao aumento da produção veio a necessidade de novos mercados consumidores de polvilho. Incentivando a busca de novos parceiros, fazendo com que o produto fosse enviado para outros estados como Goiás, Rio de Janeiro e São Paulo, sem contar todo estado de Minas Gerais. E formando novas parcerias como a Construtora Andrade Gutierrez que enviava para todo o Oriente Médio, os produtos Marinêz para atender a demanda de brasileiros residentes fora do Brasil.

Com o crescente sucesso de seus produtos: Polvilho Doce Marinêz, Polvilho Azedo Marinêz e Fécula de Mandioca Marinêz, as vendas foram só aumentando e mesmo com um volume muito grande de terras plantadas de mandioca não estavam suportando a demanda, a grande indústria do Paraná precisava de mais força para ajudar a atender um mercado crescente, então no final de 1998 o Senhor Rômulo decidiu montar a sua 3º unidade de produção. Mas onde procurar novos mercados produtores de mandioca? O Sr. Rômulo sempre foi muito atento e conversava com todos colaboradores, lembrou-se de um motorista que  lhe havia contado uma história de sua cidade natal, chamada Arco Íris em São Paulo, ele dizia: que na região de sua terra natal havia muita mandioca e faltava empregos  pois era uma cidade muito pequena de um povo simples e trabalhador. O Sr. Rômulo como tinha vindo de família simples do interior de Minas Gerais ficou tocado pela história e decidiu conhecer a região de Arco Íris, município do estado de São Paulo, próximo a cidade de Tupã. Chegando lá visitou várias propriedades de terra e fez alguns contatos que poderiam ser importantes em um futuro próximo; voltou então para Bom Despacho e a ideia não lhe saia da cabeça, um belo dia toca a campainha de sua casa, uma visita o surpreende de maneira promissora, o Prefeito de Arco Íris havia ficado sabendo da história, que a Indústria Marinêz estava com intenções de montar uma filial em sua cidade e ele queria deixar bem claro que as portas da cidade estavam abertas para ele; tudo que faltava para impulsionar a mais nova filial. Criou-se assim mais uma grande amizade e a nova fábrica começou logo a sair do papel, aumentando a produção da indústria para auxiliar a atender toda uma demanda já nacional.

Hoje a indústria Marinêz conta com os conselhos de Sr. Rômulo e sua esposa Srª Marluce Costa Martins, já afastado da indústria mas acompanhando bem de perto a gerência da empresa, passando a administração atual para seus sucessores filhos Rafael Costa Martins, Renato Costa Martins e Rodrigo Costa Martins, que dividem as responsabilidades sobre a execução de uma produção  valiosa. Tradição passada de pai para filhos, com um altíssimo padrão de qualidade, sucesso este que trouxe grandes parcerias como: Mercado Central (desde os primeiros quilos), Grupo Nova Safra, Grupo ABC, Grupo BH, Mega Forte, Cecoti, Verde Mar, Vilefort, CEASA MG e varias outras empresas pelo Brasil afora.

Hoje a Indústria Marinêz trilha novos caminhos, já pensando em montar sua 4ª unidade de produção para atender como sempre, com logística própria e com a satisfação de todos seus clientes.

Para um melhor biscoito e pão de queijo você deve sempre exigir o melhor polvilho.

Marinêz, Qualidade e Tradição para sua família.

© 2013 Todos os direitos reservados. Indústria de Polvilho Marinêz Ltda.